terça-feira, 6 de outubro de 2009

Fui a Riga na Letónia

Naquele ímpeto de aproveitar o 5 de Outubro, decidi juntamente com a M. aproveitar um pacote da Halcon para um fim-de-semana em Riga.

Resumidamente tenho duas recomendações:

  1. Não usar pacotes de viagens.
  2. Visitar Riga, pois vale a pena.

A questão do pacotes prende-se mais com uma preferência pessoal. Não gosto de viajar emcarneirada e gosto muito de chegar a um local e não ouvir falar Português para onde quer que me vire. Além de que ficarem 3 autocarros cheiros de Tugas à espera de meia-dúzia de maduros durante uma hora porque não se lembraram que era necessário cambiar, acompanhado de uma banda sonora do estilo: "O Português um um tipo que prontos..." ou "...a gaja podia ter-se lembrado de cambiar lá ó o cara$%#$, fo#"#$..." é sempre um bom início. Seguido de imediato com a pessoa da agência a vender "tours" e mais visitas a isto e aquilo que na sua essência representa eu estar a pagar um pacote para visitar uma cidade durante dois dias e depois passar esses dois dias enlatado num autocarro cheio de Tugas a visitar os arredores e comer em buffets e rodízios, e a comprar utensílios de cozinha esculpidos em madeira. Devo ser má pessoa, mas realmente não me identifico com este modus operandi.

Deixando os podres para trás, passemos a Riga propriamente dita.

Ainda no avião a primeira coisa que salta à vista é a total ausência de qualquer elevação no terreno circundante. Aquilo é simplesmente tudo plano. O centro está impecavelmente restaurado parecendo um museu vivo. O que é engraçado é que apesar de ter uma carga histórica enorme tem imensa vida com muita gente nova a popular as ruas pela noite dentro.

Igrejas e mais igrejas, estruturas medievais, torres, muralhas, um sem fim de estruturas próprias de um livro de história. E depois vêm os restaurantes que os há para todos os gostos. Destaco três: o Hospitalis, um medieval e a cadeia de restaurantes Lido que nos foi recomendada como tendo gastronomia típica. Bares há de tudo. Cubano, Brasileiro, lounge, tradicional etc. sempre com cerveja local cujo tamanho médio é 0,5l.

Tradição local: Os recém casados colocam um cadeado com os nomes gravados numa das muitas pontes existentes. (foto abaixo)

Ficam então umas fotos.















1 comentário:

ocpdba disse...

Fotos muito muito boas. Parabéns.